O técnico Motorzinho

O início da carreira

Ruy Castro dos Santos, o Motorzinho, era gaúcho e jogou de 1940 a 1945 no Internacional de Porto Alegre, sendo hexacampeão gaúcho. Junto com Tesourinha, Adãozinho e Carlitos fez parte do ataque colorado conhecido como Rolo Compressor. Ruy era meia-esquerda e tinha como função sustentar todo aquele lado do campo, e por isso em 1943 ele recebeu o apelido de Motorzinho, pois ele era conhecido como o motor do time gaúcho.

Depois de seis anos no Internacional, Motorzinho foi para o Renner (RS) e também chegou a jogar no Grêmio por pouco tempo. Posteriormente com ex-companheiros de Internacional ele criou o time do Força e Luz. Time este que apesar de não ter sido campeão, obteve uma bela campanha.

A vinda para o Atlético

Entre 1947 e 1948, o Força e Luz veio excursionar em Curitiba e foi aí que o Atlético entrou na vida de Motorzinho. Através de João Alfredo Silva e seu filho Jofre Cabral veio o convite para trabalhar no Atlético.

Então, no início de 1948, Motorzinho veio treinar o Atlético, foi nessa época que foi montado o time campeão de 1949.

A importância de Motorzinho para o Furacão 49

Segundo os ex-jogadores Cireno e Nilo Biazetto, o técnico Motorzinho foi o grande responsável pelo sucesso do Furacão 49. Cireno conta que Motorzinho ao treinar o time demonstrava as qualidades que ele tinha como jogador aos seus pupilos. Tudo que ele sabia fazer como jogador ele ensinava aos jogadores do seu elenco. Seu filho, Carlos Antunes, conta que foi Motorzinho que implantou as jogadas ensaiadas no Atlético e que isso não era algo comum para a época. Uma delas era uma jogada pela direita que deixava o Neno sozinho e ele entrava com bola e tudo.

Segundo Cireno, Motorzinho entendia de bola, ele distinguia bem quem jogava melhor, com quem o time produzia mais e graças a ele o time do Atlético foi subindo de produção. A grande característica do Furacão, que inicialmente era chamado de Tufão, era liquidar o jogo nos primeiros 15 ou 20 minutos e no segundo tempo administrar a partida.

Características marcantes de Motorzinho

Uma característica de Motorzinho era experimentar os jogadores no aspirante antes de colocá-los no profissional. Os aspirantes eram treinados pelo mesmo técnico do profissional e normalmente jogavam a preliminar. Rui, sobrinho de Caju, é um dos jogadores com quem Motorzinho fez várias experiências no aspirante antes que ele subisse ao time principal, até ele tornar-se titular do Furacão. A importância de Motorzinho está nisso, no sistema de jogo que ele armava, na tática que ele estabelecia e nas inovações de criar jogada ensaiada etc.

A continuidade da carreira

Assim como aconteceu depois que saiu do Internacional, quando criou o time do Força e Luz, quando ele saiu do Atlético ele foi para o interior do Paraná e criou um clube chamado Cambaraense Atlético Clube. E com esse time foi vice-campeão do Centenário do Estado do Paraná, o campeão foi o Ferroviário.

Em 1955, dois anos depois de dirigir o Cambaraense, ele foi para o CAMA, Clube Atlético Monte-Alegre e pela primeira vez um time do interior foi Campeão Paranaense. E quando o Atlético precisava Motorzinho voltava, ele foi e voltou ao Atlético diversas vezes, graças ao bom relacionamento que sempre manteve com a diretoria atleticana.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s