O referencial dos grandes jogadores

Ainda da época em que começou a jogar, Alfredo conta que eles tinham em que se espelhar. Visto que havia muitos craques jogando, principalmente no eixo Rio-São Paulo. Ver esse jogadores em campo fazia com que a piazada quisesse ser igual a eles.

Segundo ele, em 1965 quando passaram a ter mais noção de futebol havia um dirigente que os levava pra São Paulo pra ver os jogos.

“Nós tínhamos 16/17 anos e o Moreno pegava a gente, colocava numa Kombi e nos levava pra SP pra ver jogos no Pacaembu. Você via aqueles jogos e se espelhava nos caras. Você via o Pelé fazer cada jogada, você queria fazer igual. Você via o Nilton Santos, Bellini jogar, você queria jogar igual aos caras. Tinha um referencial de como os caras jogavam.

Eu acho que o grande problema no futebol brasileiro hoje é esse, a falta de referência pro jogador se espelhar. Hoje a gente cobra muito dos jogadores, mas eles não tem em quem se espelhar. Ele tem que se aperfeiçoar e tentar ser uma pessoa diferente. Hoje, quem domina a bola perto, consegue cabecear, passar uma bola de cinco metros e acertar, joga em qualquer time do Brasil. Porque hoje é condição física.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s