Roberto Costa relembra as comemorações de títulos

Círculo de História Atleticana: Como eram as festas pós-titulos na sua época?

Roberto: “Ah, nós tivemos uma festa em 82, teve uma festa boa. Um jantar. E teve até um acidente com o Washington. Ele entrou ali na Brigadeiro Franco com a Dr. Pedrosa, tinha uma loja de lustres ali na esquina. Nós comemoramos, bebemoramos e o Washington entrou lá dentro da loja.”

Círculo de História Atleticana: E a festa da torcida?

Roberto: “Era bonita, muito bonita. A torcida em 82, quando fomos campeões, invadiu o campo e carregou todo mundo no colo, roupeiro e tudo.

 Todo mundo tinha medo e respeitava muito a torcida do Atlético. Todo mundo tinha um respeito muito grande. Os próprios jogadores tinham um respeito muito grande em função daquele carisma que começou na Baixadinha, que era aquele Caldeirão, de ficar ali em cima, de torcer.”

Círculo de História Atleticana: Você como o goleiro sentia a vibração da galera nas suas costas?

Roberto: “Era a galera cobrando ali, em cima e você vibrando junto. Não tinha como você não vibrar, não vestir a camisa. É por isso que os goleiros se identificam com o Atlético. E hoje a torcida do Atlético ainda é diferente, é uma torcida que trouxe aquilo que era na Baixadinha e trouxe pra Baixada de hoje. Mesmo com o estádio que é hoje, a torcida ali joga, vira um Caldeirão e o jogador gosta disso, ele é cobrado, mas gosta. Você via se o torcedor estava sofrendo na arquibancada e queria vencer pra dar alegria pra ele. E não era longe, você olhava pra trás e via o torcedor.”

Anúncios

Um comentário sobre “Roberto Costa relembra as comemorações de títulos

  1. Tem de levar estas declarações para este time de agora, quem sabe eles aprendem um pouco o que é respeito!

    “Círculo de História Atleticana: E a festa da torcida?

    Roberto: “Era bonita, muito bonita. A torcida em 82, quando fomos campeões, invadiu o campo e carregou todo mundo no colo, roupeiro e tudo.

    Todo mundo tinha medo e respeitava muito a torcida do Atlético. Todo mundo tinha um respeito muito grande. Os próprios jogadores tinham um respeito muito grande em função daquele carisma que começou na Baixadinha, que era aquele Caldeirão, de ficar ali em cima, de torcer.”

    Círculo de História Atleticana: Você como o goleiro sentia a vibração da galera nas suas costas?

    Roberto: “Era a galera cobrando ali, em cima e você vibrando junto. Não tinha como você não vibrar, não vestir a camisa. É por isso que os goleiros se identificam com o Atlético. E hoje a torcida do Atlético ainda é diferente, é uma torcida que trouxe aquilo que era na Baixadinha e trouxe pra Baixada de hoje. Mesmo com o estádio que é hoje, a torcida ali joga, vira um Caldeirão e o jogador gosta disso, ele é cobrado, mas gosta. Você via se o torcedor estava sofrendo na arquibancada e queria vencer pra dar alegria pra ele. E não era longe, você olhava pra trás e via o torcedor.””

    Eles precisam entender que se continuarem assim como estão a torcida joga contra e que depende apenas deles essas sensações boas que o Roberto Costa falaou aqui.

    Att,

    James Macedo Neto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s